Avançar para o conteúdo principal

África: côr, calor, amor! Cidade do Cabo - Vou ali e venho já! Street view photography #6



Coincidência ou não, acabo de dar os últimos retoques neste texto, um dia depois de ter chegado de África (São Tomé e Principe), ainda com todas as sensações de Mundo que lá encontrei à flor da pele. Por isso, achei que este post sobre a Cidade do Cabo precisava de duas coisas mais: música e alma! Estão preparados? Bora daí à boleia do Vou Ali e Venho Já! até à Cidade do Cabo. 







-  1: cliquem aqui e preparem-se para ser absorvidos pelos ritmos da terra quente 

- 2: lembrem-se da história deste continente, da época colonial, do impacto e transformação que isso significou para um povo inteiro

- 3: Africa do Sul é também Nélson Mandela. E aquilo que ele nos ensinou a todos:

INVICTUS
William Ernest Henley
Out of the night that covers me,
Black as the Pit from pole to pole,
I thank whatever gods may be
For my unconquerable soul.
In the fell clutch of circumstance
I have not winced nor cried aloud.
Under the bludgeonings of chance
My head is bloody, but unbowed.
Beyond this place of wrath and tears
Looms but the Horror of the shade,
And yet the menace of the years
Finds and shall find me unafraid.
It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.



E agora deixo-vos passear pela Cidade do Cabo, onde um dia espero poder estar de verdade, e aprender com a sua inestimável história. 

Fomos nós, portugueses, os responsáveis pelos primeiros registos sobre a existência deste local quando o explorador Bartolomeu Dias por lá passou em 1486. Onze anos mais tarde, em 1497, foi a vez de Vasco da Gama. 

Embora inicialmente detida por Holandeses, com os jogos de poder que foram acontecendo na Europa, acabou por ser o Reino Unido a assumir a direção deste território. A infinita riqueza de recursos a localização estratégica fizeram com que a Cidade do Cabo tenha tido sempre um interesse muito particular como colónia ultramarina. 









Podia escrever sobre os conflitos recorrentes, as questões de saúde pública, o Apartheid e de como isso moldou a forma de ser de quem por lá viveu (e ainda hoje vive). Mas esse é um passado recente do qual, infelizmente, ainda todos temos memória. Prefiro mostrar-vos que, se um dia forem à Cidade do Cabo, vão poder mergulhar em praias maravilhosas, fazer treking até à Montanha da Mesa e perder-vos com as vistas sobre a península do Cabo. Vão sentir a paixão que lá existe em relação ao futebol e ao râguebi. Isto tudo numa cidade jovem, em que a média de idade é de 26 anos e que está a fervilhar de energia e vontade de crescer.

#GoRitaGo
#VouAliiVenhoJa
#TravelTheWorld 




Comentários

  1. Que maravilha de registos, Rita! Adoramos :D
    Que bom que é viajar contigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom foi vocês me terem desafiado para estes passeios! Tenho aprendido muito e tem sido uma descoberta tão bonita! <3

      Eliminar

Enviar um comentário